Série: Destaques em Socorro de Emergência – Relato 5

Série: Destaques em Socorro de Emergência – Relato 5

O Quinto relato da série Destaques em Socorro de Emergência vai para a atuação da equipe do quartel de Copacabana (17ºGBM) durante o socorro a uma vítima de queda.

O Paciente, de 21 anos, caiu de um andaime, a uma altura aproximada de 20 metros e, apesar de portar equipamento de segurança, o quadro clínico encontrado era grave.

O jovem apresentou traumatismo crânio encefálico (TCE) grave, com afundamento de crânio, trauma de tórax, fraturas em membro superior direito, fratura exposta de membro inferior esquerdo e hemorragia externa, ou seja, um politrauma grave.

O quadro ainda era de comprometimento neurológico, frequência cardíaca e respiratória baixas, sudorese fria.

A Equipe Estava Formada pela:

* Oficial enfermeira Capitão Paula Brandão, o cabo Edson Fernandes e os soldados Leonardo Barboza e Diego de Araújo.

A Oficial enfermeira, auxiliada pela guarnição, diante do cenário, prontamente iniciou as medidas cabíveis a um enfermeiro no suporte de vida:

* Acesso venoso para reposição rápida de volume, suporte ventilatório adequado e extricação cuidadosa e adequada para uma vítima com múltiplas lesões.

O Objetivo era a prevenção de sequelas irreversíveis.

Após 25 minutos, a vítima foi levada à unidade hospitalar de referência já com melhora de seus parâmetros vitais.

No hospital, passou por uma neurocirurgia, cirurgia ortopédica e torácica e, após 15 dias do evento, a oficial enfermeira recebe notícias de que o jovem estava viva e ainda internado no CTI.

DADOS – No primeiro semestre de 2014 o Corpo de Bombeiros foi responsável por 6.750 atendimentos relacionados à queda.

Dentre estes, 62% são caracterizados como queda da própria altura, 14% queda de escada /degrau, 10% de outros como andaimes, 8% de laje, 2% de leito e 1% de buraco e árvore.

Quando se refere à queda de laje, 81% são vítimas do sexo masculino e 19% atuam como pedreiros ou ajudantes de obra.

Na maioria dos casos, são vítimas críticas, com múltiplas lesões em que o tempo e a capacidade técnica do socorrista são primordiais para a evolução e sobrevida da vítima.

read more

About The Author

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


*