5 Erros Médicos Mais Bizzaros

5 Erros Médicos Mais Bizzaros

1. Uma senhora de 67 anos precisava fazer uma cirurgia no cérebro, ao invés disso, ela foi operada no coração para um estudo de eletrofisiologia. Durante a cirurgia, o médico recebeu uma ligação de um outro médico perguntando o que ele estava fazendo com sua paciente… Só aí ele percebeu o erro…

2. Em 1995, o Americano Willie King precisou amputar uma de suas pernas. Uma sucessão de erros levou a equipe médica a amputar a perna boa de Willie, quando perceberam o erro, já era tarde demais.
Ele recebeu mais de 1 milhão de dólares de indenização pelo erro.

3. Donald Church passou por uma cirurgia para retirada de um tumor, o tumor foi retirado com sucesso..o problema é que o médico esqueceu um afastador de 33 cm dentro do paciente.

4. Quando a Norte Americana Nancy Andrews, de origem hispânica, engravidou através da fertilização “in vitro”, ela e seu marido esperavam uma filha. O que eles não esperavam é que a menina fosse negra, já que seu marido é caucasiano. Exames de DNA indicaram que os médicos da clínica utilizaram o esperma de outro homen para inseminar os óvulos de Nancy.

5. Em 2006, Sherman Sizemore passou por uma cirurgia exploratória para determinar as causas de suas dores abdominais. Mas durante a cirurgia o homem alegou haver experimentado consciência anestésica, um estado em que o paciente pode sentir dor, pressão ou desconforto durante a operação, mas não pode se comunicar ou sequer mover um músculo. O paciente não recebeu a anestesia geral que o levaria à inconsciência e tiraria a capacidade de sentir dor. Duas semanas após a cirurgia, Sherman tirou a própria vida.

About The Author

Emergency Live

Emergency Live é a única revista multilingue dedicada a pessoas envolvidas no resgate e emergência. Como tal, é a forma ideal em termos de velocidade e custo para as empresas comerciais para chegar a um grande número de usuários-alvo, por exemplo, todas as empresas envolvidas de alguma forma no apetrechamento de meios especializados de transporte. De fabricantes de veículos para empresas envolvidas em equipar esses veículos, a qualquer fornecedor de salvamento e resgate e equipamentos auxiliares.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


*