Nepal, ambulância da Cruz Vermelha atacada por manifestantes antigovernamentais

Organizações da Cruz Vermelha condenou na segunda-feira um ataque no Nepal por manifestantes antigovernamentais que pararam uma ambulância e mataram um policial ferido durante distúrbios devido a uma nova constituição proposta. Os protestos eclodiram nas planícies do sul do país do Himalaia desde que um esboço de uma constituição para estabelecer um sistema federal foi apresentado no mês passado, com membros de um grupo minoritário rejeitando o plano de dividir sua região.

A ambulância estava carregando um policial ferido em confrontos e foi emboscada na sexta-feira. Os agressores arrastaram o policial para fora do veículo e o mataram, segundo a polícia. Os manifestantes incendiaram o veículo.

“A Cruz Vermelha apela a todas as partes para que exerçam restrições e exortem-nas a permitir que os serviços de ambulância realizem suas tarefas”, Sociedade da Cruz Vermelha do Nepal, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha e a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho disseram em comunicado.

Todas as partes devem garantir que os feridos recebam assistência médica sem discriminação, disseram eles.

Muitas pessoas na região limítrofe da Índia se opõem ao projeto de constituição que dividiria sua pátria estreita e fundir peças em províncias maiores com outros grupos étnicos.

A agitação levou escolas, escritórios governamentais e hospitais a fecharem na região nas últimas três semanas.

Pelo menos pessoas da 40 foram mortas, a maioria delas manifestantes em disparos policiais.

Em Katmandu, o governo disse que um esboço final da constituição pode ser concluído em uma semana - a primeira na história do Nepal a ser escrita pelos representantes eleitos.

A redação foi interrompida por dois dias na semana passada, na tentativa de trazer todos os partidos políticos a bordo. Mas grupos agitados se recusaram a participar das negociações, dizendo que o governo não havia cumprido suas pré-condições.