Presidente do CICV encerra visita a Washington

Washington DC - O presidente do CICV Peter Maurer fez uma visita de quatro dias a Washington DC, onde conheceu as seguintes autoridades: Assessora de Segurança Nacional Susan Rice; Secretário de Segurança Interna Jeh Johnson; Diretor da Agência Central de Inteligência John Brennan; Vice-secretário de Estado Tony Blinken; Vice-Secretário Principal de Defesa da Política Brian McKeon; Secretária de Estado Adjunta para População, Refugiados e Migrações Anne Richard; Senador Ben Cardin (D-MD); Senador Bob Corker (R-TN); e senador Chris Murphy (D-CT).

Ele também conheceu o diretor administrativo e diretor administrativo do Grupo Banco Mundial Shaolin Yang e o presidente e diretor executivo da Cruz Vermelha Americana Gail McGovern e membros de sua equipe de serviços internacionais.

Durante sua visita, o Sr. Maurer se envolveu com autoridades sobre o impacto das operações militares dos EUA em civis e discutiu as instalações de detenção dos EUA na Baía de Guantánamo como parte do contínuo diálogo confidencial e bilateral do CICV com as autoridades dos EUA em questões relacionadas à proteção. Ele também discutiu a migração nas Américas com o Departamento de Segurança Interna dos EUA.

Durante sua visita, Maurer compartilhou suas impressões sobre o sofrimento civil e as crescentes necessidades humanitárias na Síria e no Afeganistão, após viagens recentes a ambos os países. "Esses tipos de conflitos complexos levam à fragilidade, instabilidade, subdesenvolvimento e desemprego - todos os que são propulsores de deslocamento", disse ele. “Tendo recentemente passado um tempo na Grécia, posso confirmar que não é coincidência que estamos vendo um número recorde de migrantes, refugiados e requerentes de asilo fugindo de suas casas ao mesmo tempo em que estamos vendo um número crescente de conflitos prolongados no mundo. "

Maurer diz que agora é a hora de todas as nações, incluindo os EUA, reafirmarem seu compromisso de garantir um melhor respeito global ao Direito Internacional Humanitário e reduzir o vasto sofrimento humano causado por conflitos armados e violência em todo o mundo.

"Precisamos de soluções inovadoras, novas idéias, mais agilidade e parcerias e cooperação aprimoradas entre governos, agências de ajuda, instituições financeiras internacionais e o setor privado, a fim de lidar com as conseqüências sistêmicas resultantes das guerras e da violência de hoje", afirmou ele. que ele esperava que a Cúpula Humanitária Mundial, realizada em Istambul no próximo mês, proporcionasse uma oportunidade para os líderes mundiais e atores humanitários fazerem exatamente isso.

No entanto, ele acrescentou que “a ajuda humanitária por si só não resolverá os conflitos do mundo. Somente soluções políticas e esforços diplomáticos aprimorados podem trazer paz duradoura. ”

 

LEIA O OFICIAL DO CICV

Comentários estão fechados.