Sintomas de emergências em crianças: febre

A doença febril em crianças pequenas geralmente indica uma infecção subjacente e é motivo de preocupação para os pais e responsáveis. A doença febril é muito comum em crianças pequenas, com entre 20 e 40% dos pais relatando essa doença a cada ano. Como resultado, a febre é provavelmente o motivo mais comum para uma criança ser levada ao médico. A doença febril também é o segundo motivo mais comum para uma criança ser internada no hospital. Apesar dos avanços na área da saúde, as infecções continuam sendo a principal causa de morte em crianças com menos de 10 anos da 5. A febre em crianças pequenas pode ser um desafio diagnóstico para os profissionais de saúde, porque muitas vezes é difícil identificar a causa. Na maioria dos casos, a doença é devido a uma infecção viral autolimitada. No entanto, a febre também pode ser a característica de infecções bacterianas graves, como meningite ou pneumonia. Um número significativo de crianças não tem causa óbvia de febre, apesar de uma avaliação cuidadosa. Essas crianças com febre sem fonte aparente são particularmente preocupantes para os profissionais de saúde, porque é especialmente difícil distinguir entre doenças virais simples e infecções bacterianas com risco de vida nesse grupo. Como resultado, há uma necessidade percebida de melhorar o reconhecimento, a avaliação e o tratamento imediato de doenças febris em crianças.

A introdução de novos programas de vacinação no Reino Unido pode ter reduzido significativamente o nível de internações hospitalares resultantes de doenças cobertas por esta diretriz. Por exemplo, a análise precoce do programa de vacinação contra pneumococos na Inglaterra mostra que a incidência de doenças relacionadas a pneumococos caiu 98% em crianças menores de anos 2 desde a introdução da vacinação. No entanto, as evidências sugerem um aumento de 68% na prevalência de doenças causadas por subtipos de bactérias não cobertas por programas de vacinação. Além disso, é provável que casos potencialmente graves de doença febril sejam raros; portanto, é importante que existam informações para ajudar os profissionais de saúde a diferenciá-los dos casos leves. Esta diretriz foi elaborada para auxiliar os profissionais de saúde na avaliação inicial e no tratamento imediato de crianças pequenas com febre que se apresentam nos cuidados primários ou secundários.

[document url = ”http://www.nice.org.uk/guidance/cg160/resources/guidance-feverish-illness-in-children-pdf” width = ”600 ″ height =” 720 ″]