23 ferido como fogo, atira no depósito de munições do exército filipino

MANILA (AFP) - Vinte e três pessoas ficaram feridas quando um incêndio e uma série de explosões atingiram um depósito de munições do Exército filipino perto do distrito financeiro do país na quarta-feira, disseram autoridades e testemunhas.

Imagens da televisão local mostraram soldados uniformizados carregando alguns dos feridos em macas para longe de um prédio em chamas envolto em fumaça negra, enquanto três outras vítimas estavam sentadas na calçada aguardando ajuda médica.

"Eu estava a alguns metros de distância quando o fogo estourou e causou uma explosão forte", disse o porta-voz do Exército, tenente-coronel Noel Detoyato.

Vinte e três pessoas foram tratadas em um hospital militar filipino nas proximidades, com cinco soldados e um civil entre eles posteriormente transferidos para outros hospitais porque sofreram ferimentos graves, disse à AFP o coronel Rovelene Bambao, médico.

Oito soldados, sete bombeiros e um civil estava entre os feridos, disse Detoyato. As identidades dos outros sete não foram imediatamente conhecidas.

A causa do incêndio que destruiu o depósito de suprimentos de munição no Comando das Reservas do Exército das Filipinas estava sendo investigada, acrescentou.

O fogo aparentemente provocou explosões entre as munições armazenadas lá, acrescentou.

O edifício isolado está localizado a poucos minutos de carro do distrito financeiro de Makati, em Manila.

Detoyato disse que o exército ordenou a evacuação de escritórios e prédios comerciais próximos como precaução.

“Ainda existe a possibilidade de haver mais explosões. A área ainda está muito quente e a munição reage ao calor ”, afirmou.

Um fotógrafo da AFP viu sete homens sendo tratados por vários ferimentos no hospital do exército.

"Fomos atingidos por tijolos voadores e vidros quebrados quando nos retiramos do prédio", disse o bombeiro voluntário de Manila Agrifino Santos à AFP.

O bombeiro de dez anos da 40 disse que sua equipe foi despachada de um distrito próximo para responder ao incêndio no final da manhã e esvaziou seu canhão de água no incêndio quando as explosões começaram.

"Caímos no chão imediatamente, mas fomos atingidos", disse Santos, com a cabeça enfaixada e as costas queimadas após a camisa incendiar.

Seus seis colegas tiveram cortes aparentemente menos graves nas pernas e nas mãos.

O capitão-porta-voz do Exército das Filipinas, capitão Anthony Bacus, disse a repórteres que ouviu uma série de pequenas explosões "como fogos de artifício" enquanto se sentava em outro prédio do exército próximo logo após o alerta de incêndio ter sido acionado.

"Após cerca de uma hora do 15, houve uma grande explosão", acrescentou.

- AFP / al

Comentários estão fechados.