Cuba e EUA concordam em operações conjuntas de busca e salvamento

A acordo histórico entre Cuba e EUA relativa à busca e salvamento marítimo conjunto. Em uma reunião de delegações dos dois países, realizada em Havana, com a presença de especialistas e funcionários, foi assinado um documento comum como primeiro passo para uma futura coordenação entre forças. O objetivo é garantir maior eficiência nas operações de resgate no trecho marítimo que separa os EUA e Cuba. 90 milhas de mar que se tornaram parte da fenda entre duas ideologias opostas no fino equilíbrio da geopolítica.

Segundo relatos locais, a reunião se desenvolveu em um clima de respeito e cooperação. As delegações respectivas foram lideradas por Oscar del Toro Quesada, presidente da Comissão Coordenadora de Busca e Resgate de Cuba, e Richard A. Button, chefe da Divisão de Coordenação de Busca e Resgate do Serviço de Guarda Costeira dos EUA. A reunião contou com a presença de funcionários do Ministério dos Transportes de Cuba, dos Ministérios das Forças Armadas e do Interior e do Ministério das Relações Exteriores de Cuba, e representantes do Serviço da Guarda Costeira dos EUA, do Departamento de Transportes e do Departamento de Estado.

O documento elaborado no final da reunião enfatiza a importância de fortalecer a coordenação das operações de busca e salvamento aeronáutico e marítimo e a necessidade de salvar a vida das pessoas em perigo, comprometendo-se a garantir a eficiência e eficácia das operações realizadas pelas entidades responsáveis ​​por essa atividade nos dois países. O governo dos Estados Unidos rompeu unilateralmente as relações formais com Cuba no 1960 por diferenças ideológicas: o degelo pós-ideológico é ajudado por um interesse comum em maior segurança no mar.