A coagulopatia do trauma: uma revisão dos mecanismos

Contexto: O sangramento é a causa mais frequente de morte evitável após ferimentos graves. A coagulopatia associada a lesões graves complica o controle do sangramento e está associada ao aumento da morbidade e mortalidade em pacientes com trauma. As causas e mecanismos são múltiplos e ainda precisam ser claramente definidos. Métodos: artigos que abordam as causas e consequências da coagulopatia associada ao trauma foram identificados e revisados. Foram buscadas situações clínicas em que as várias causas mecanísticas são importantes, juntamente com estimativas quantitativas de sua importância.
Resultados : A coagulopatia associada à lesão traumática é o resultado de múltiplos mecanismos independentes, mas interagentes. A coagulopatia precoce é causada por choque e requer a geração de trombina a partir de lesão tecidual como iniciador. O início da coagulação ocorre com a ativação das vias anticoagulante e fibrinolítica. Essa coagulopatia aguda do choque do trauma é alterada por eventos subsequentes e terapias médicas, em particular acidemia, hipotermia e diluição. Existe uma interação significativa entre todos os mecanismos.
Conclusões: Existe uma compreensão limitada dos mecanismos pelos quais trauma, choque e inflamação nos tecidos iniciam a coagulopatia por trauma. A coagulopatia aguda do choque do trauma deve ser considerada distinta da coagulação intravascular disseminada, conforme descrito em outras condições. O diagnóstico rápido e as intervenções direcionadas são áreas importantes para pesquisas futuras.
Palavras-chave: Coagulopatia, Trauma, Choque, Mecanismo, Revisão
autores:
John R. Hess, MD, MPH, FACP, FAAAS
Karim Brohi, MD
Richard P. Dutton, MD, MBA
Carl J. Hauser, MD, FACS, FCCM
John B. Holcomb, MD, FACS
Yoram Kluger, MD
Kevin Mackway-Jones, MD, FRCP, FRCS, FCEM
Michael J. Parr, MB, BS, FRCP, FRCA, FANZCA, FJFICM
Sandro B. Rizoli, MD, PhD, FRCSC
Tetsuo Yukioka, MD
David B. Hoyt, MD, FACS
Bertil Bouillon, MD

 

você pode gostar também