Violência em Gaza, campo de refugiados bombardeado. ONU para Israel: 'crimes de guerra em risco'.

A violência em Israel e na Faixa de Gaza pode constituir crimes de guerra: este é o alerta da Alta Comissária da ONU para Direitos Humanos, Michelle Bachelet, após um atentado que matou pelo menos dez pessoas em um campo de refugiados de Shati na região palestina

Em um comunicado divulgado em Genebra, ela apelou tanto ao governo de Tel Aviv quanto ao partido palestino Hamas.

Desafios da ONU para Israel

Bachelet mencionou “a crise desencadeada no bairro de Sheikh Jarrah, em Jerusalém Oriental ocupada, por ameaças de despejos forçados de famílias palestinas, a forte presença das forças de segurança israelenses e a violência na mesquita de Al-Aqsa durante o Ramadã, a grave escalada de ataques de e contra Gaza e o chocante incitamento ao ódio racial e à violência em Israel ”.

O Alto Comissário exortou o governo de Tel Aviv a tomar medidas para impedir confrontos e agressões entre grupos de extrema direita e colonos, por um lado, e cidadãos palestinos de Israel, por outro.

No comunicado, é feita referência específica aos motins e assassinatos ocorridos nas cidades de Lod, Jaffa, Ramle e Haifa.

Também denunciou a falta de intervenção policial em face da “agressão violenta” contra os palestinos.

De acordo com fontes consistentes, dez pessoas, incluindo oito crianças, morreram no ataque israelense que atingiu o campo de refugiados durante a noite.

O incidente ocorreu em Shati, onde vivem cerca de 90,000 pessoas deslocadas no norte da Faixa de Gaza. Dez membros da mesma família, os Abu Hatabs, perderam a vida.

Oriente Médio, Israel ataca e destrói um prédio que abriga a Al Jazeera e a Associated Press

O prédio na Cidade de Gaza, que abrigava a redação da agência de notícias americana Associated Press e da emissora pan-árabe Al Jazeera, desabou hoje após ser atingido por um ataque da Força Aérea israelense.

De acordo com fontes consistentes, o prédio foi evacuado antes do bombardeio, após uma comunicação das forças de Tel Aviv. O prédio também continha apartamentos e outros escritórios.

ISRAEL: “HAVIA ATIVOS MILITARES DE HAMAS NO EDIFÍCIO”

Em mensagem divulgada nas redes sociais, as Forças Armadas israelenses confirmaram que realizaram a operação, causando o desabamento do prédio.

A alegação de Tel Aviv é que o prédio continha “ativos militares” pertencentes ao Hamas, que é acusado de usar civis como “escudos humanos”.

Leia também:

Israel / Gaza, Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV): Os civis estão pagando um alto preço pela escalada em Israel e Gaza / VÍDEO

Fonte:

Agenzia Dire

você pode gostar também