Transtornos do Espectro Autista e transtornos alimentares: qual a relação?

Espectro autista e transtornos alimentares: os transtornos alimentares (TA) são classificados em Anorexia nervosa (AN), que por sua vez pode ser caracterizada por comportamentos restritivos (AN-R) e/ou compulsão alimentar com estratégias de eliminação (vômitos, uso de laxantes, etc.). .; AN-BP), Bulimia nervosa e transtorno da compulsão alimentar periódica (TCAP)

É comum que esses distúrbios mudem ao longo do tempo, enquadrando-se em diferentes categorias, dependendo da sintomatologia predominante.

Alguns aspectos do funcionamento de pacientes com DCA podem lembrar características dos Transtornos do Espectro Autista (TEA): em particular, a rigidez cognitiva parece caracterizar, com várias declinações, ambas as condições.

Outros pontos em comum parecem dizer respeito às dificuldades de empatia, fantasia e imaginação, e teoria da mente (mesmo que algumas pesquisas tenham colocado a hipótese de que na DCA estes são sintomas de desnutrição, que retornariam assim que uma dieta adequada fosse retomada) (Pruccoli et al. , 2021).

Outro elemento a ter em conta é a comorbilidade entre TEA e TA: alguns estudos, de facto, mostram que 18-23% dos doentes com AN fazem parte do Espectro do Autismo (Westwood et al., 2017).

Do ponto de vista clínico, entretanto, não é fácil determinar a possível co-presença das duas condições, devido à grande variedade de manifestações observáveis, como a presença ou ausência de vômitos autoinduzidos.

O estudo sobre transtornos alimentares e transtornos do espectro do autismo

Numata e colegas (2021) realizaram pesquisas para investigar as diferenças entre pacientes que vomitam e aqueles que não vomitam, e se estes estavam relacionados de alguma forma a traços autistas.

A amostra incluiu 42 mulheres (média de idade: 26 anos), sendo 23 BN, 8 AN-BP, 6 AN-R e 5 TCAP.

A hipótese do estudo era que indivíduos sem vômitos autoinduzidos eram mais propensos a se enquadrar no Espectro do Autismo, mas dos quatro subtipos de TA, aquele com os maiores escores de TEA era aquele com indivíduos que praticavam compulsão alimentar (ou seja, sem recorrer ao vômito).

A associação entre traços autistas e ausência de vômitos autoinduzidos, no entanto, só foi válida em sujeitos com peso normal ou superior, e uma vez que os sujeitos foram separados de acordo com a duração da doença em dois grupos (menos de 4 anos e mais superior a 4 anos), a ausência de vômitos caracterizou apenas os indivíduos com transtorno alimentar presente há menos de 4 anos.

Deve-se considerar também que em condições do espectro autista podem existir fobias específicas que são mais fortes que o desejo de emagrecer, como vômitos, e que essa prática pode causar sensações sensoriais extremamente desagradáveis ​​e em alguns casos traumatizantes, levando as pessoas com autismo a evite fazê-lo voluntariamente.

Estudo sobre transtornos alimentares e o espectro do autismo: resultados e conclusões

Conclusões significativas para o trabalho com pacientes com DCA emergem do estudo, que incluem a necessidade de realizar uma avaliação completa, investigando se a presença de traços autistas é considerada adequada, principalmente nos casos em que a prática compensatória do vômito autoinduzido não está presente e onde o peso do sujeito é normal ou superior.

A presença de traços autistas em pacientes com DCA pode causar resistência à terapia tradicional para transtornos alimentares, portanto, o conhecimento da possível neurodiversidade do sujeito permite que a intervenção seja mais flexível e adaptável às características da pessoa a quem se dirige.

SAÚDE DA CRIANÇA: SAIBA MAIS SOBRE MEDICHILD VISITANDO O ESTANDE NA EXPO DE EMERGÊNCIA

Referências

Numata, N., Nakagawa, A., Yoshioka, K., Isomura, K., Matsuzawa, D., Setsu, R., Nakazato, M., Shimizu, E. (2021). Associações entre transtorno do espectro autista e transtornos alimentares com e sem vômito autoinduzido: um estudo empírico. Journal of Eating Disorders, 9(1):5.

Pruccoli, J., Solari, A., Terenzi, L., Malaspina, E., Angotti, M., Pignataro, V., Gualandi, P., Sacrato, L., Cordelli, DM, Franzoni, E., Parmeggiani , A. (2021). Transtorno do espectro do autismo e anorexia nervosa: um estudo prospectivo italiano. Jornal Italiano de Pediatria, 47: 59.

Westwood, H., Mandy, W., Tchanturia, K. Avaliação clínica de sintomas autistas em mulheres com anorexia nervosa. Autismo Molecular, 8: 12.

https://www.istitutobeck.com/terapia-cognitivo-comportamentale/disturbi-nutrizione-alimentazione

https://www.istitutobeck.com/autismo

Leia também:

Emergency Live Even More ... Live: Baixe o novo aplicativo gratuito do seu jornal para iOS e Android

Autismo, aqui estão três testes de sinais preditivos que os pediatras devem saber

Terapia comportamental dialética (DBT) aplicada a transtornos do espectro do autismo

Autismo, Transtornos do Espectro do Autismo: Causas, Diagnóstico e Tratamento

Fonte:

Instituto Beck

você pode gostar também