Terapia da dor para dor nas costas: como funciona

Terapia da dor: pelo menos uma vez na vida todos sofremos de dores nas costas, agudas ou crônicas, e provavelmente em todas as idades

Especificamente, formas crônicas de dor lombar e pescoço dores (ou seja, aquelas que persistem ao longo do tempo), que afetam em média mais de 20% da população adulta italiana e mundial, são muito frequentes e, especialmente do ponto de vista do tratamento, exigem uma abordagem multidisciplinar que envolve vários especialistas, como terapeutas da dor, ortopedistas, fisioterapeutas e neurocirurgiões.

Quando usar a terapia da dor

Em um contexto multidisciplinar, o terapeuta da dor geralmente é chamado após um período de sintomas álgicos intensos, principalmente nas fases subaguda e crônica.

As patologias da coluna que podem ser tratadas através da terapia da dor são várias, dentre elas:

  • síndromes artróticas
  • osteofitose
  • espondiloartrose;
  • sacroileíte;
  • síndromes facetárias.

Síndrome facetária

Especificamente, a síndrome facetária é uma patologia crônica das articulações facetárias, ou seja, as articulações paravertebrais que estabilizam a coluna vertebral.

Às vezes, seja devido a formas de degeneração discal, artrose ou após cirurgia da coluna vertebral, essas articulações facetárias entram em artrose, levando ao aparecimento de dor lombar localizada (monolateral em 80% dos casos).

Se a patologia não for da competência do neurocirurgião e, portanto, não envolver cirurgia, ou se não for um caso de instabilidade grave da coluna, uma hérnia de disco que precise ser operada com urgência, ou formas degenerativas maiores, o terapeuta da dor pode intervir.

Terapia da dor: tratamento com radiofrequência

O especialista em dor pode intervir através do uso de radiofrequência, ou seja, ondas eletromagnéticas de alta frequência que atuam sobre a lesão tecidual com fontes de calor muito altas.

A este respeito, podemos distinguir entre 2 tipos de radiofrequência para o tratamento da dor aguda e crônica:

  • Radiofrequência pulsada (neuromodulação)
  • radiofrequência contínua (neurolesão).

Radiofrequência pulsada

A radiofrequência pulsada (PRF) é um tratamento ambulatorial, minimamente invasivo, que envolve o uso de uma cânula muito fina, sob orientação radioscópica, para tratar o ramo medial do nervo espinhal com uma fonte de calor (máximo 42°C).

Esta técnica não causa nenhum dano neurológico, mas apenas um reset do nervo, com um efeito benéfico duradouro.

A radiofrequência pulsada é usada principalmente para tratar casos de:

  • hérnia de disco com radiculopatia cervical, dorsal e lombar;
  • neuropatias pós-herpéticas;
  • neuropatias pudendas no ombro congelado.

Também é eficaz em nervos cranianos, como o nervo trigêmeo.

Radiofrequência contínua  

A radiofrequência contínua (CRF), ou radiofrequência contínua, funciona danificando termicamente o pequeno nervo na articulação para dessensibilizá-lo permanentemente.

A temperatura, que é muito alta, fica em torno de 80°C.

Geralmente, a radiofrequência de neurolesão é indicada para o tratamento da síndrome facetária.

Outros casos em que é usado são:

  • desnervação parcial do sacro ilíaco por via posterior;
  • os nervos sensoriais geniculados para o joelho;
  • os nervos obturador e femoral para o quadril.

Em regra, antes de proceder a uma radiofrequência neurolesiva, são realizados alguns exames de diagnóstico, como, por exemplo, um bloqueio guiado por anestesia ou ecografia ou guiado por radioscopicamente, que se der resultado positivo (ou seja, a dor desaparece durante pelo menos 70-80%, mesmo que apenas por alguns dias), então pode-se prosseguir.

Antes desses tratamentos ambulatoriais, é possível optar por infiltrações antálgicas ou ecoguiadas ou terapia com ozônio, que também é muito eficaz nas formas crônico-degenerativas e nas hérnias de disco não cirúrgicas.

Terapia da dor para outras doenças da coluna vertebral

Outras doenças da coluna que geralmente também podem ser tratadas com terapia da dor são:

  • doenças degenerativas do disco;
  • patologias cervicais.

Terapia da dor e doença degenerativa do disco

As doenças degenerativas do disco estão ligadas à degeneração do disco, como o disco preto, que é uma degeneração do disco que leva a uma flacidez e enrijecimento do próprio disco, que não cumpre mais sua função de amortecedor entre os dois corpos vertebrais.

Quando esse espaço é reduzido, as facetas começam a se esfregar umas nas outras, causando dor.

Nesses casos, se a cirurgia não for necessária, um tratamento bastante significativo, chamado correção de disco, pode ser utilizado.

Consiste na introdução de dois filamentos no interior do disco, que se consolidam e servem para evitar uma maior redução do disco.

Este procedimento é realizado por via percutânea sob orientação radioscópica.

Terapia da dor e doenças cervicais

No que diz respeito às doenças cervicais, os tratamentos relacionados são os mesmos.

Às vezes, a chicotada, ou síndrome de distorção cervical, também pode estar associada a esses distúrbios, que não são particularmente dolorosos no início, mas podem ter um efeito posterior desagradável ao longo do tempo.

Nesses casos, um tratamento especial chamado radiofrequência pulsada é utilizado para reduzir o estado inflamatório.

Outro tipo de distúrbio que pertence à grande família da cervicalgia é a cefaleia cervical-nucal, que começa na nuca e sobe em direção ao topo da cabeça, envolvendo tanto a testa quanto o olho.

É um distúrbio muito comum e é devido a uma irritação do grande nervo occipital.

Isso pode ser tratado de 2 maneiras

  • por infiltração local com anestesia, cortisona ou terapia com ozônio;
  • por radiofrequência pulsada no gânglio da vértebra C2, ou seja, onde parte deste nervo começa.

Em ambos os casos, os resultados são ótimos com melhora dos sintomas da dor.

É importante ressaltar que, se não tratada adequadamente, a cervicalgia tende a se repetir ou se tornar crônica, por isso é importante não subestimá-la e consultar um bom especialista.

Leia também:

Emergency Live Even More ... Live: Baixe o novo aplicativo gratuito do seu jornal para iOS e Android

Dor crônica e psicoterapia: o modelo ACT é mais eficaz

Lumbago: o que é e como tratá-lo

Dor nas costas: a importância da reabilitação postural

Estenose Cervical: Sintomas, Causas, Diagnóstico e Tratamento

Fonte:

GSD

você pode gostar também