Brasil: quatro estados e Distrito Federal superam a média histórica de incêndios florestais

Incêndios florestais no Brasil: segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) a causa é majoritariamente humana, mas há um agravamento direto causado pela seca

Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o DF e outros 4 estados já superaram a média histórica de incêndios florestais registrados desde 1998.

VEÍCULOS ESPECIAIS PARA BOMBEIROS: VISITE O ESTANDE ALLISON NA EXPO DE EMERGÊNCIA

Incêndios florestais no Brasil: a causa é principalmente humana, mas há um agravamento direto causado pela seca

Em entrevista ao portal de notícias G1, segundo Alberto Setzer, especialista do Programa Queimadas do Inpe, a falta de água ajuda na propagação do incêndio, mas a causa do início ainda é humana. A maioria dos incêndios é intencionalmente provocada pelo homem.

“Há incêndios descontrolados em todas essas regiões e, em alguns casos, até os piores já registrados.

Lá estão há quase três meses áreas sem uma gota d'água e isso favorece muito a propagação do fogo ”, disse Setzer.

MONTAGEM DE VEÍCULOS ESPECIAIS PARA BRIGADAS DE INCÊNDIO: DESCUBRA A ESTANDE PROSPEADA NA EXPO DE EMERGÊNCIA

No sudeste do Brasil, em Minas Gerais, a situação dos incêndios florestais é grave

20 unidades de conservação já foram afetadas pelo fogo.

Ainda segundo dados do INPE, apenas nos primeiros sete dias de setembro, foram registrados 608 incêndios no estado de São Paulo.

O número é mais de 37% superior aos incêndios registrados no mesmo período do ano passado, 443 incêndios.

Isso porque setembro de 2020 já havia batido o recorde histórico de incêndios no período nas últimas duas décadas.

Na região Centro-Oeste, no Distrito Federal, os incêndios florestais já destruíram 14,064 hectares de área florestal.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia e Estatística (Inmet), a umidade atingiu o mínimo de 15% na última semana.

Na Chapada dos Veadeiros, no estado de Goiás, os incêndios começaram no dia 12 de setembro. Em 20 de setembro, o incêndio ainda atingiu o parque nacional em dois pontos.

No Nordeste, o Piauí já registra queimadas 44.2% acima da média histórica, embora ainda falte uma semana para encerrar o mês.

Na Bahia, 9 cidades ainda tinham focos de incêndio no início desta semana.

Segundo dados do Inpe, a projeção para o trimestre deste ano indica probabilidade de chuvas acima da média histórica no Norte, Centro e Leste do Brasil, mas o total não deve ser suficiente para resolver todos os problemas causados ​​pela estiagem.

Leia também:

Covid no Brasil: São Paulo começa a exigir 'passaporte de vacina'

Brigada de incêndio do Reino Unido levanta alarme sobre relatório climático da ONU

Fonte:

Agenzia Dire

você pode gostar também