A Grã-Bretanha é o primeiro país a autorizar a vacina Covid: será a da Pfizer

A Grã-Bretanha, conforme anunciado há alguns meses, aprovou hoje, com uma decisão “de emergência”, o uso de uma vacina para Covid-19: é o medicamento desenvolvido pela multinacional americana Pfizer em conjunto com a empresa alemã Biontech.

Grã-Bretanha, vacina Pfizer aprovada: vacinação imediata para grupos mais fracos, equipes de resgate e profissionais de saúde do NHS

O Departamento de Saúde Britânico, informa o jornal The Guardian em sua edição online, anunciou que o governo aceitou a aprovação recebida da Autoridade Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde (Mhra), o órgão que trata da certificação de medicamentos e é responsável perante o Departamento.

A vacina, de acordo com relatórios da Pfizer e Biontech nos últimos dias, é eficaz em cerca de 95 por cento dos casos.

Segundo o The Guardian, as primeiras doses do medicamento, reservadas para pessoas em maior risco, chegarão nos próximos dias: NHS ambulância socorristas, médicos e enfermeiras em hospitais serão os primeiros a receber a dose da vacina.

Vaccine Covid, da Grã-Bretanha Johnson, já adquiriu 40 milhões de doses do medicamento

O governo do primeiro-ministro Boris Johnson já comprou cerca de 40 milhões deles.

Leia também: COVID-19 No Reino Unido, Prof. Powis (NHS): Mais pacientes com coronavírus no hospital agora do que no início do primeiro bloqueio

A Agência Europeia de Medicamentos (Ema) anunciou ontem que tanto a vacina da Pfizer e Biontech quanto a da americana Moderna receberão autorização até 29 de dezembro e 12 de janeiro, respectivamente.

Na França, o presidente Emmanuel Macron anunciou hoje que o governo transalpino está “considerando” a possibilidade de uma campanha de imunização em massa entre abril e junho do próximo ano, após uma fase inicial reservada para as pessoas “mais vulneráveis”.

Leia também:

Covid, Agência Europeia de Medicamentos (Ema): “Decisão sobre duas vacinas até 29 de dezembro e 12 de janeiro”

Leia o artigo italiano

Fonte:

Agenzia Dire

Comentários estão fechados.