Crise dos migrantes: ACNUR oferece assistência às autoridades húngaras

O ACNUR encontrou-se com as autoridades de Budapeste e ofereceu assistência ao ACNUR para lidar com o crescente número de refugiados e migrantes que chegam à Hungria. Aqui abaixo, publicamos o comunicado de imprensa do ACNUR, que pede ação para ajudar migrantes e refugiados:

"Repetimos nosso pedido de simplificação e agilização do registro, recepção nos pontos de coleta, centros de registro e centros de recepção e cuidamos daqueles que buscam proteção internacional. Mais de refugiados e migrantes da 150,000 passaram da Sérvia para a Hungria desde janeiro deste ano. A maioria é da Síria, Afeganistão e Iraque. Algumas outras nacionalidades incluem paquistaneses, Bangladesh e pessoas da África Subsaariana.

O ACNUR espera que mais pessoas venham nos próximos meses. O número de chegadas ontem ultrapassou as pessoas da 2,700, pois a média diária permaneceu em torno da 2,000 desde o mês passado. Esperamos que a Hungria trabalhe com o ACNUR em parceria para lidar com as necessidades humanitárias das pessoas que chegam ao país. Os padrões de recepção precisam melhorar para as pessoas que chegam à Hungria todos os dias. Havia mulheres e crianças dormindo ao ar livre na noite passada em Rözske, perto da fronteira com a Sérvia. Apelamos às autoridades húngaras: para melhorar e agilizar o processo de registro e permitir que as organizações humanitárias prestem assistência às pessoas nos pontos de coleta próximos à fronteira e melhorem as condições de acolhimento dos requerentes de asilo. Implementar a legislação aprovada recentemente, de acordo com a legislação da UE e internacional. Diferenciar aqueles que precisam de proteção internacional daqueles que não precisam e, portanto, quais procedimentos de devolução devem ser implementados de acordo com as normas de direitos humanos. O ACNUR está mobilizando itens de socorro, incluindo tendas, lençóis de plástico e cobertores térmicos, para ajudar quem entra na Hungria. Atualmente, algumas pessoas da 30,000 na Grécia estão em movimento. Cerca de 3,000 deixa a Grécia para a ARJ Macedônia, Sérvia e Hungria diariamente. É muito importante que a Europa continue a fornecer acesso ao território a todos aqueles que buscam proteção aqui. O ACNUR espera que as tendências de chegada à Grécia continuem pelo menos até outubro, já que navegar no Mar Egeu se torna extremamente difícil. Condições deteriorantes na Síria e nos países vizinhos estão levando milhares de sírios a arriscar tudo em viagens perigosas para a Europa. À medida que a crise se aprofunda no seu quinto ano, sem nenhum sinal de solução política à vista, o desespero aumenta e a esperança é escassa. O apelo de financiamento para ajudar refugiados sírios nos países vizinhos é apenas financiado pela 37. Desde o ano passado, as tendências foram muito claras, pois estávamos tentando transmitir aos países da Europa que mais refugiados estarão em movimento, em conseqüência do apoio cada vez menor a eles no bairro da Síria. Não fomos ouvidos e, como vemos hoje, a Europa não está preparada para aqueles que chegam para buscar proteção internacional na Europa. Exortamos a UE a adotar uma abordagem comum e medidas ousadas para gerenciar melhor a atual crise de refugiados. Os países devem demonstrar solidariedade com a população mais vulnerável do mundo, que vem em busca de segurança na Europa. Nenhum país pode ficar sozinho para lidar com o problema. O ACNUR gostaria de agradecer a voluntários, ONGs e autoridades policiais pelos esforços feitos para lidar com refugiados e migrantes com a humanidade. O ACNUR solicita aos Estados europeus que ajudem as autoridades húngaras a responder à situação de emergência e ampliem o plano de realocação da Grécia e da Itália para a Hungria ”.