Pediatria / Doença celíaca e crianças: quais são os primeiros sintomas e qual o tratamento a seguir?

A doença celíaca, um dos problemas mais comuns em pediatria: existem muitas intolerâncias alimentares, e uma das mais comuns é certamente a doença celíaca. Nos últimos anos, também se tornou cada vez mais comum em crianças.

A doença celíaca é uma doença auto-imune que pode afetar adultos e crianças e torna os pacientes intolerantes ao glúten.

Quais são os sinais e sintomas da doença celíaca?

Os sintomas da doença celíaca são muitos e variados, o que pode dificultar o diagnóstico.

Em crianças, após a introdução do glúten na dieta, uma reação autoimune pode se desenvolver, afetando principalmente o intestino delgado, mas também outros órgãos, incluindo a tireóide, couro cabeludo, fígado e esmalte dentário.

Os sinais e sintomas que sugerem a ocorrência desta doença em crianças e que envolvem o intestino são

  • persistência de fezes diarreicas ou obstipação obstinada,
  • episódios de dor abdominal aguda ou persistente,
  • vômito recorrente

No entanto, a doença celíaca é uma doença insidiosa, pois pode começar com uma sensação de cansaço crônico, tendência a adormecer, palidez e sinais indiretos de anemia sideropênica, cuja principal característica é a deficiência de ferro.

Na verdade, a doença celíaca causa atrofia das vilosidades intestinais com conseqüente má absorção de micronutrientes essenciais, como o ferro.

Fraturas ósseas em crianças também podem ser um sintoma do início da doença devido à má absorção de vitamina D.

O enfraquecimento do cabelo e a alopecia areata irregular estão, em muitos casos, relacionados ao início da doença celíaca, assim como as alterações no esmalte dos dentes, episódios de úlceras aftosas recorrentes ou alterações na pele, como dermatite herpetiforme e urticária.

Artrite ou puberdade retardada também podem ser um sintoma da doença celíaca.

Como a doença celíaca é diagnosticada?

O diagnóstico da doença celíaca em crianças hoje é facilitado pela disponibilidade de marcadores sensíveis e específicos (IgA anti-transglutaminase), para que possa ser diagnosticado com um simples exame de sangue.

Crianças com marcadores elevados não precisam mais se submeter a esofagogastroscopia para confirmar o diagnóstico, como é necessário em adultos.

Quando um pai suspeita de sintomas consistentes com o diagnóstico, é útil conversar com seu pediatra e fazer exames de sangue antes de eliminar o glúten da dieta.

Realizar exames de sangue quando já está em uma dieta sem glúten torna o diagnóstico impossível.

Se os marcadores forem positivos, é importante ir a uma clínica especializada para confirmar a presença de doença celíaca e marcar o tratamento.

Como tratar um paciente com doença celíaca?

O tratamento para a doença celíaca é, na verdade, a dieta sem glúten, que permite que a membrana mucosa do intestino delgado volte ao normal, mas deve ser seguida à risca ao longo da vida.

As consequências de não seguir uma dieta restrita podem ser o agravamento da doença e o risco de linfomas intestinais na idade adulta.

Seguir uma dieta sem glúten exige treinamento e em centros especializados, como o do Policlínico, é possível conversar com nutricionistas dedicados que permitirão aos celíacos saberem desde cedo escolher o que comer em cada situação, incentivando o desenvolvimento da autoconfiança, para que possam desfrutar e participar em todos os eventos sem problemas, só por vezes aprendendo a organizar-se e a sensibilizar os seus entes queridos.

Leia também:

Scarlet Fever, o pediatra: “Não há vacina específica e não confere imunidade”

Pediatria: casos graves de diabetes tipo 1 na Ligúria dobraram desde o início da pandemia de Covid

Fonte:

Fabiola Corti, pediatra do Policlinico di Milano: site oficial

você pode gostar também