Mauritânia, saúde gratuita para 600,000 vulneráveis: projeto promovido pelo presidente El Ghazouani

Na Mauritânia, mais de 600,000 pessoas das camadas mais vulneráveis ​​da população poderão se beneficiar de um seguro de saúde abrangente gratuito até o final do ano

Esta é a promessa de um projeto lançado pelo governo Nouakchott nos últimos dias, conforme relatado por fontes concordantes da mídia local.

A cerimônia de lançamento da iniciativa aconteceu sexta-feira na capital, com a presença do presidente da República, Mohamed Ould Cheikh El Ghazouani, que havia prometido as medidas de apoio ao assumir o poder, em junho de 2019.

O próprio Chefe de Estado entregou as primeiras carteiras de seguro a cerca de uma centena de famílias, principalmente do interior do país, cujo território é quase todo atravessado pelo deserto do Saara.

De acordo com o site da Delegação Geral de Solidariedade Nacional e Combate à Exclusão (Taazour), órgão do Estado que promoveu a campanha, os primeiros beneficiários da iniciativa são 107,000 mil pessoas, incluindo “portadores de deficiência ou doença crônica”.

O objetivo final da campanha na Mauritânia é fornecer o cartão do seguro a 620,000 pessoas, cerca de 100,000 famílias, até o final de 2021

Entre os principais serviços incluídos na cobertura estão o tratamento ambulatorial e hospitalar, incluindo cirurgia, e despesas com transporte de saúde.

O presidente-executivo da Taazour, Mohamed Mahmoud Bouassriya, chamou a iniciativa de “a primeira desse tipo na região”.

De acordo com dados do Banco Mundial, na Mauritânia, que tem uma população de pouco mais de quatro milhões, quase um terço da população vivia abaixo da linha de pobreza de US $ 1.9 por dia em 2014.

Leia também:

Nigéria, invasão a uma escola islâmica em Tegina: 150 alunos sequestrados

Saara Ocidental, Giulia Olmi (Cisp): “Com a guerra 250 mil pessoas em risco”

Fonte:

Agenzia Dire

você pode gostar também