Cálculo urinário pediátrico: o que é, como tratá-lo

Cálculo urinário pediátrico: consiste na formação de cálculos no trato urinário. O prognóstico é bom se a doença for diagnosticada precocemente

Cálculo urinário ou urolitíase é a formação de pedras no trato urinário

Em contraste com os adultos, a localização dos cálculos é predominantemente renal e a taxa de recidiva é cinco vezes maior, pois está mais frequentemente associada a distúrbios metabólicos como cistinúria ou oxalúria e outras doenças genéticas.

Nos últimos anos, a incidência de calculose renal-ureteral em crianças aumentou em torno de 20%, provavelmente devido a diferentes hábitos alimentares e aumento da obesidade.

SAÚDE DA CRIANÇA: SAIBA MAIS SOBRE MEDICHILD VISITANDO O ESTANDE NA EXPO DE EMERGÊNCIA

O que causa o cálculo urinário?

Uma pedra é uma massa dura que se desenvolve a partir de cristais que se originam na urina e crescem dentro dos túbulos renais (estruturas intrarrenais).

A maioria dos cálculos é formada a partir de oxalato de cálcio e fosfato de cálcio. Mais raramente são formados por cistina (cistinúria) ou ácido úrico.

Em muitos casos a doença apresenta-se como um problema isolado, mas em casos menos frequentes – cerca de 1-2% – pode ser causada por doenças malformativas do trato urinário.

Cálculo urinário em crianças – quais são os sintomas?

Em comparação com os adultos, os sintomas com os quais a doença pode se manifestar são diferentes e muitas vezes estão relacionados à idade da criança.

Em alguns casos, o diagnóstico é ocasional, por exemplo, após uma ultrassonografia de abdome realizada por outras indicações, como dores abdominais recorrentes, suspeita de infecções do trato urinário ou simplesmente após uma ultrassonografia de controle.

Em outras situações o único sintoma é a presença de sangue mais ou menos abundante na urina: a chamada hematúria.

Em crianças maiores o sintoma costuma ser mais claro e se manifesta com o que se conhece como cólica renal-ureteral: uma dor aguda no lado que irradia para a virilha, muito intensa, pode estar associada a náuseas, vômitos e mal-estar geral.

Como isso é diagnosticado?

O reconhecimento dos sintomas é o primeiro passo para o diagnóstico;

A ultrassonografia renal e vesical é a ferramenta diagnóstica de primeira escolha, às vezes sugerida de forma perspicaz pelo cuidador principal;

A radiografia direta do abdome com preparo intestinal adequado pode representar o próximo passo; é indicado pelo urologista;

A tomografia computadorizada do aparelho urinário sem meio de contraste representa a avaliação mais completa e é sempre realizada por indicação do urologista, principalmente nos casos de cálculos complexos previamente avaliados por ultrassonografia (cálculos múltiplos ou que envolvem grande parte da via excretora de rim, suspeita de cálculos ureterais não visualizados por ultra-som ou radiografia abdominal direta).

Como a litíase urinária é tratada em crianças?

Nos casos de cálculos pequenos (microlitíase), mesmo múltiplos (2-3 mm), recomenda-se monitoramento cuidadoso, prescrição de terapia medicamentosa com suplementos de citrato de potássio e muita hidratação.

Nos casos em que é necessário um tratamento mais intensivo, a escolha da técnica adequada para o tratamento dos cálculos depende da composição e tamanho dos cálculos, da sua localização e da anatomia do trato urinário.

Litotripsia extracorpórea por ondas de choque (ESWL)

Isso é indicado em certos casos com cálculos únicos de cerca de 1 cm de tamanho.

Envolve o uso de um dispositivo que gera ondas de choque acústico de alta energia e as concentra na pedra, que é então quebrada.

Os pequenos fragmentos são excretados com a urina.

Ureterolitotomia endoscópica (RIRS: cirurgia intrarrenal retrógrada)

É o mais indicado para cálculos presentes no ureter lombar e pélvico com cálculos não maiores que 2 cm em crianças acima de 2-3 anos de idade.

Uma sonda endoscópica chamada “ureterorrenoscópio” é introduzida primeiro na uretra, depois na bexiga e depois no ureter até o cálculo.

A pedra é triturada com um laser especial e os fragmentos são coletados e extraídos usando “cestos” especiais.

A técnica requer instrumentos delicados e considerável destreza manual e experiência. Com o advento dos ureteroscópios flexíveis, a técnica atingiu um novo patamar de excelência.

Nefrolitotomia percutânea (PCNL: Nefrolitotomia Percutânea)

A nefrolitotomia percutânea (PCNL) é o melhor procedimento de tratamento para certas formas de cálculos renais, especialmente para mofo e formas múltiplas (cálculos de cistina, cálculos de mofo do grupo do cálice inferior ou com diâmetro de 2 a 3 cm).

Como prevenir a urolitíase?

A prevenção é indicada principalmente em crianças com história familiar de primeiro grau (mãe, pai, irmãos, avós).

Acima de tudo, busca-se fornecer aos pais e ao pediatra geral indicações corretas quanto à ingestão adequada de água, dieta hipossódica, normocalórica e normoprotéica a ser prescrita desde o desmame.

Prognóstico de urolitíase:

Nos casos em que há um diagnóstico precoce da doença, o prognóstico é favorável.

Nos casos em que o diagnóstico é tardio devido à ausência de sintomas e a doença causa obstrução da via excretora com sofrimento renal, o prognóstico pode ser grave, mesmo com grave perda funcional do rim.

Felizmente, esses casos são muito raros.

Leia também:

Emergency Live Even More ... Live: Baixe o novo aplicativo gratuito do seu jornal para iOS e Android

Pediatria / Febre recorrente: vamos falar sobre doenças autoinflamatórias

Transporte de órgãos, estreia a primeira “ambulância drone” europeia em Torino: transportará rins

O que é pancreatite e quais são os sintomas?

Pedras nos rins: como se formam e como evitá-las

Fonte:

bebê Jesus

você pode gostar também