Asma grave: medicamento se mostra eficaz em crianças que não respondem ao tratamento

Asma grave em crianças: o New England Journal of Medicine publicou os resultados de um estudo internacional envolvendo mais de 400 crianças com idades entre 6 e 11 anos, do qual participou Bambino Gesù Children's Hospital

Boas notícias para crianças com asma grave que não respondem aos tratamentos atuais

O uso de um medicamento (dupilumabe), já utilizado no tratamento da dermatite atópica e da asma em adultos, reduz drasticamente os sintomas e as internações hospitalares.

Os resultados do estudo multicêntrico internacional, do qual participou o Bambino Gesù Children's Hospital, foram publicados no New England Journal of Medicine.

SAÚDE DA CRIANÇA: SAIBA MAIS SOBRE MEDICHILD VISITANDO O ESTANDE NA EXPO DE EMERGÊNCIA

ASMA

A asma é a doença crônica mais comum em crianças. A gravidade da asma é avaliada de acordo com as características dos sintomas, os tratamentos necessários para controlá-los e a presença de surtos.

O tratamento da asma grave requer a combinação de vários medicamentos, geralmente em dosagens mais altas.

A asma não controlada ocorre quando os pacientes não respondem ao tratamento (incluindo baixa adesão ao tratamento) e quando apresentam crises frequentes, apesar do tratamento.

Nos Estados Unidos, aproximadamente 75,000 crianças com idades entre 6 e 11 anos vivem com asma moderada a grave não controlada.

No geral, as crianças com asma moderada a grave não controlada representam cerca de 3% das pessoas com asma.

ASMA GRAVE: O ESTUDO

O estudo multicêntrico internacional em que Bambino Gesù participou envolveu 408 crianças com idades entre 6-11 anos com asma moderada a grave não controlada.

Foi um ensaio randomizado duplo-cego controlado.

Isso significa que metade dos pacientes recebeu um placebo (grupo de controle) e a outra metade recebeu o medicamento (dupilumabe).

A escolha dos pacientes que receberão o medicamento e aqueles que receberão o placebo foi causal (randomizada).

Nem os pacientes nem seus médicos sabiam qual grupo recebia o quê (duplo-cego).

O julgamento durou 52 semanas.

RESULTADOS DO ESTUDO SOBRE ASMA GRAVE EM CRIANÇAS

A droga, que já é usada no tratamento da dermatite atópica e asma em adultos, tem se mostrado extremamente eficaz na redução de surtos, melhorando a função pulmonar e o controle da asma em crianças.

Especificamente, reduziu o número de internações hospitalares e ambulatoriais de crianças com asma em 60% em comparação com 20% para aquelas que receberam placebo.

A espirometria melhorou 25% em comparação com aqueles com placebo.

Os eosinófilos, as células sanguíneas que indicam inflamação alérgica, diminuíram 70%.

Todas as crianças que receberam o medicamento apresentaram melhor controle da asma em comparação com apenas 30% das que receberam o placebo.

A qualidade de vida melhorou 60 por cento nos pacientes e suas famílias, em comparação com 35 por cento nos que tomaram o placebo.

Publicação no New England Journal of Medicine do estudo sobre asma grave

“A publicação no New England Journal of Medicine desses resultados de fase 3 ressalta a própria importância da terapia com dupilumabe para crianças mais novas com asma refratária às terapias comuns e seu potencial valor clínico”, enfatiza o professor Alessandro Fiocchi, chefe de alergologia e fibrose cística da o Hospital Infantil Bambino Gesù, em Roma.

Os pacientes pediátricos com asma moderada a grave não controlada representam uma população particularmente vulnerável.

Eles são sempre também afetados por outras alergias graves, que juntas constituem uma doença debilitante que afeta gravemente a qualidade de vida do paciente e de sua família.

Particularmente importante é a perspectiva de uma nova terapia que se mostre eficaz na redução dos principais sinais e sintomas da doença e com perfil de segurança favorável.

Leia também:

Asma, a doença que tira o fôlego

Asma: dos sintomas aos testes de diagnóstico

Fonte:

bebê Jesus

você pode gostar também