CICV, Presidente Peter Maurer em visita à Cruz Vermelha italiana: "orgulho de cooperar com a CRI".

Cúpulas do CICV visitando Roma pela Cruz Vermelha italiana. O presidente do CICV, Peter Maurer, acompanhado pelo presidente do CICV, Francesco Rocca, visitou a sede nacional.

O líder do CICV queria ir ao Centro de Resposta Nacional do CRI para falar com os operadores que, desde as primeiras horas da emergência de Covid, forneceram apoio concreto e psicológico, com um pico de 13,000 ligações por dia nos meses de bloqueio.

CICV, visita de Peter Maurer ao escritório de Roma

A tarde terminou com uma saudação informal na Academia Solferino, um projeto da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho e da Cruz Vermelha Italiana, uma ferramenta do Movimento Internacional para fazer treinamento e pesquisa, criar leads e construir um pensamento tanque do mundo humanitário.

Maurer elogiou o trabalho dos voluntários italianos, em particular a resposta à pandemia Covid-19: “Das 192 Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, o CRI está sem dúvida no topo.

Mas não há nenhuma emergência que a Cruz Vermelha italiana, com a experiência adquirida, só possa lidar da melhor maneira possível.

Penso em como tem abordado os fluxos migratórios nos últimos anos e como, nos últimos meses, tem se destacado nas atividades de combate ao vírus.

Estamos orgulhosos, como CICV, de cooperar com ele e apoiá-lo quando necessário.

Pelo contrário, queremos inspirar-nos e aprender com a Cruz Vermelha italiana, que criou e exportou boas práticas humanitárias para todo o mundo ”.

As declarações de Francesco Rocca:

“Gostaria de agradecer ao presidente Maurer por visitar a Cruz Vermelha italiana - frisei Francesco Rocca - e pelos elogios que ele prestou ao trabalho de nossos voluntários e operadores.

Temos orgulho em pensar que somos considerados excelência internacional e, acima de tudo, um exemplo de boas práticas.

Queria lembrar à cúpula do CICV como nosso esforço para combater o Coronavírus continua, diariamente.

Hoje assistimos à chamada “segunda pandemia”, a da pobreza.

Por isso o encontro de hoje é muito importante: só o conseguiremos se todo o Movimento fizer um esforço comum. Devemos proteger nossas comunidades e, ao mesmo tempo, chegar a todos os países com sistemas de saúde mais frágeis.

Porque o vírus afeta os mais vulneráveis ​​duas vezes. E não devemos deixar ninguém para trás ”.

Leia também:

Migrantes da Guatemala e de Honduras assistidos pela Cruz Vermelha

Leia o artigo italiano

Fonte:

CRI do site oficial

ARASCA MEDICAL

Comentários estão fechados.