Brasil, Universidade de Brasília vai produzir enzimas para testes de COVID-19 com o objetivo de torná-los mais baratos

Os testes do COVID-19 no Brasil ficarão mais baratos graças às novas pesquisas realizadas pela Universidade de Brasília que produzirá enzimas para testes em seus laboratórios.

A enzimas essencial para fabricar o RT-PCR (reação em cadeia da polimerase transcriptase reversa) para Testes COVID-19, pode ser produzido pelo Universidade de Brasília, Brasil.

A Universidade de Brasília será a principal produtora das enzimas de teste COVID-19 para todas as instalações do Brasil

Professora Lidia de Moraes, A partir do Instituto de Ciências Biológicas (IB) está iniciando estudos para produzir as enzimas TAQ DNA polimerase e transcriptase reversa em seu laboratório de Biologia Molecular na UnB.

Essas enzimas são geralmente importadas de Coréia e Estados Unidos, mas levarão de dois a três meses para entregar as enzimas importadas. Segundo o professor Moraes, a pandemia é um problema grave, mas parece que só por importando enzimas, Os testes COVID-19 são muito caros no Brasil. Para se ter uma ideia, um kit completo de transcriptase reversa e DNA polimerase TAQ pode custar R $ 6 mil e permite a realização de 100 exames.

O projeto do Universidade de brasilia para produzir as substâncias significará uma produção autossuficiente e incluirá o fornecimento delas para laboratórios privados, que oferecem o teste RT-PCR.

O professor Moraes relatou no site oficial da Universidade do Brasil: “Se conseguirmos produzir essas enzimas, a UnB não terá mais que pagar um preço alto pelas substâncias, em dólares”.

A Universidade recebeu R $ 30 mil para iniciar o projeto, por meio do edital DPI / DEX 001/2020 da Copei da UnB. Com o recurso, ela pretende se dedicar à produção e armazenamento de enzimas para testes do COVID-19.

A professora já adquiriu um kit que pode ser usado como comparação em testes de controle de qualidade, que serão feitos com as enzimas que ela produz em laboratório.

Comentários estão fechados.